Pesquisadores do Campus de Aquidauana têm pesquisa aprovada na Universidade de Genebra

Postado por: Marco Santos

A pesquisa intitulada “A necessidade de a Universidade pesquisar o conhecimento produzido desde o local: Decolonialidade, interdisciplinaridade e interculturalidade”, coordenada pela Profª. Dra. Janete Rosa da Fonseca e desenvolvida em conjunto com o Prof. Me. David Arenas Carmona e a Profª. Dra. Fátima Cristina Duarte Ferreira Cunha, teve início no ano de 2020, mais precisamente no mês de setembro. Desde então, o grupo de pesquisadores vem desenvolvendo várias ações e organizando participações em eventos e publicações.

O artigo enviado para a Conferência Europeia sobre Pesquisa Educacional faz parte das investigações que estão sendo desenvolvidas no projeto de pesquisa “Estudos Decoloniais: perspectivas de diálogo e discussão de procedimentos teóricos e metodológicos latino-americanos nos cursos de licenciatura, adaptados à realidade multicultural do Brasil”.

“Estamos inseridos em um contexto onde não há uma cultura melhor do que a outra, o que existe são culturas diferentes e isso precisa ser mostrado e vivenciado. Muitos povos, ao longo dos anos, acreditaram que sua cultura não era importante e a Universidade tem um compromisso ético de trabalhar essas questões. Nossa maior riqueza é nossa diversidade cultural”, diz a Profª. Janete.

O reconhecimento da importância dos saberes ancestrais e desse conhecimento inserido na prática social, bem como a valorização dos conhecimentos locais, buscando fontes empíricas e metodológicas no próprio território, na realidade local, constituem-se nos objetivos da pesquisa, que se desenvolve na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Aquidauana, em parceria com a UFMT, Campus do Araguaia, e com a UNEMAT, Campus de Cáceres e Campus de Sinop.

Os estudos vêm ocorrendo por meio de leituras com autores críticos e teóricos atinentes ao universo escolhido. As atividades são desenvolvidas por meio da compreensão, de reflexão, de entendimento, de interpretação em meio a diálogos e abrangem de forma ampla e diversificada o campo teórico da formação de professores.

O artigo referente à pesquisa foi aprovado para apresentação na Universidade de Genebra, na Suíça, no ECER 2021, a Conferência Europeia sobre Pesquisa Educacional, que visa promover a pesquisa educacional de alta qualidade para o benefício da educação e da sociedade. A pesquisa de alta qualidade não apenas reconhece seu próprio contexto, mas também reconhece contextos transnacionais mais amplos com suas semelhanças e diferenças sociais, culturais e políticas. O ECER 2021, Genebra, que será online, foi definido nesse formato devido ao atual contexto e acontecerá de 6 a 10 de setembro, com o tema “Educação e Sociedade: expectativas, prescrições, reconciliações”, organizado pela EERA e pelo Comitê Organizador Local da Universidade de Genebra e da Valais University Of Teacher Education, com apoio da Sociedade Suíça para Pesquisa em Educação (SSRE).

Segundo os organizadores do evento, a proposta apresentada pelos Professores do CPAQ está diretamente relacionada ao interessante tema da pesquisa educacional. Além disso, se encaixa bem na rede selecionada. É coerente na argumentação e na metodologia e afirma claramente o foco da pesquisa. Os autores conduziram uma pesquisa interessante que rendeu alguns dados úteis. O uso de métodos qualitativos tem um grande potencial de pesquisa e os autores podem desenvolvê-lo de muitas maneiras diferentes. A proposta é clara, de fácil entendimento e acessível ao público internacional. Ademais, leva em consideração o contexto europeu e/ou internacional, conforme a avaliação dos revisores.

Compartilhe:
Veja também